Tecnologia

A geração tecnológica a serviço da pecuária de leite

Parece um grande desafio unir a tranquila vida do campo ao uso de equipamentos sofisticados e de tecnologias como computadores, tablets, smatphones e aplicativos que colaborem com o desenvolvimento do agronegócio. Porém, essa já é uma realidade nos processos de produção, venda e distribuição no setor agropecuário.

Com trabalhadores técnicos nascidos na era da tecnologia entrando neste mercado, esse é um caminho sem volta. Essa geração que consegue aplicar o uso da tecnologia como solução de diversos problemas tem transformado a forma de se trabalhar e construído um novo cenário também no campo.

Na pecuária de leite não é diferente: o uso crescente da tecnologia tem beneficiado pequenos e grandes produtores, melhorando os resultados e gerando novos empregos.

Mais tecnologia = maior rentabilidade

O consultor Maurício Palma Nogueira, na Revista Milkpoint, em 2004 destacou que: “ … o volume de leite por pessoa ocupada sai de 130 litros por dia na baixa tecnologia para os 315 litros na situação de alta tecnologia. Cada pessoa ocupada nas empresas de alta tecnologia produz 137% a mais que as pessoas ocupadas nas empresas de baixa tecnologia. E apesar da alta tecnologia aumentar em 137% a eficiência de cada funcionário empregado na atividade, o número de empregos gerados na mesma área, de acordo com a simulação, será 330% maior. (…) aumenta-se também a quantidade de salários, encargos e serviços pagos mensalmente para cada hectare envolvido na produção leiteira.”

Gerar  mais produção, mais riqueza e mais postos de trabalho, pela mesma unidade de recursos disponíveis, realmente é o que se espera com a utilização da tecnologia na pecuária de leite. Além de maior qualidade, sustentabilidade e segurança.

Tecnologia em todos os processos

Tecnologia é o uso da ciência no campo. O conhecimento técnico aliado ao uso de tecnologia tem sido o grande diferencial competitivo para a nova geração de  profissionais da pecuária de leite que, baseando-se nos argumentos do zootecnista Renato Palma Nogueira, de 2011, têm inúmeras possibilidades de atuação quando o assunto é tecnologia:

Atuação agronômica

Uso de tecnologia no campo que garanta a qualidade e quantidade de alimento para o rebanho bovino de leite a custos competitivos. Aplicação das ferramentas tecnológicas na fertilidade do solo, no manejo de pastagens e na irrigação, por exemplo.

Atuação estrutural

Recursos tecnológicos para a melhoria das instalações e equipamentos como ordenhadeira mecânica, bebedouros, comedores, drenagem dos corredores, etc.

Atuação zootécnica

A tecnologia na pecuária leiteira usada a serviço do controle de produção, da alimentação, da reprodução, manejo bovino, entre outras atividades.

Atuação na sanidade

A saúde animal controlada através de recursos e ferramentas tecnológicas. Controle de doenças, calendário de vacinação, controle de qualidade da água, etc.

Atuação gerencial

Recursos básicos como ferramentas digitais de texto e planilhas, gerenciamento de sites e emails, utilização de softwares e aplicativos específicos para a produção de leite, inserção em plataformas de venda, entre outros.

É importante destacar que já existem recursos de tecnologia no agronegócio disponibilizados sem nenhum custo para o produtor de leite e sem a necessidade de acesso à internet. E que além dessas áreas de atuação no campo,  muitos jovens empreendedores têm investido na criação de novos produtos e empresas de tecnologia para atender ao mercado.

A tecnologia deve ser vista como eficiência, ou seja, os meios para se chegar aos resultados esperados. É o que qualquer produtor de leite deseja para aumentar a rentabilidade e ao que a nova geração tecnológica tem totais condições de atender.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar